Change your language:

Blog

Marcos Arbaitman é Personalidade de Vendas ADVB 2015

por Panrotas
01Jul

O empresário Marcos Arbaitman, presidente da Maringá Turismo, recebeu hoje o prêmio Personalidade de Vendas 2015 da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB). A premiação, realizada no bairro de Higienópolis, em São Paulo, contou com a presença do presidente da ADVB, Latif Abrão Jr., e Juan Quirós, presidente da Investe São Paulo, que falou em nome do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.
Homenageado com o depoimento de jovens que foram auxiliados pela Associação dos Amigos do Menor pelo Esporte Maior (Amem), da qual é fundador, Arbaitman destacou a importância do empreendedorismo e afirmou que “salvar uma criança equivale a salvar a humanidade”. Sobre o atual cenário econômico do País, o empresário apontou que “em 46 anos de Maringá Turismo, nunca houve tanta dificuldade”, mas deixou um recado otimista: “Vamos todos lutar juntos para salvar o Brasil”.
MARINGÁ TURISMO
Com relação à situação atual da empresa, Arbaitman afirmou ao Portal PANROTAS que a luta é para não dispensar um único profissional. “O grupo tem hoje 637 funcionários nas três empresas e nós não dispensamos ninguém. Agora em julho estamos contratando 14 pessoas novas porque eu acredito no Brasil, eu acredito no nosso trabalho e no ramo de Turismo”.
A empresa, segundo ele, está apresentando resultados positivos. “A nossa felicidade é que esse mês de junho, surpreendentemente, já está igual a junho do ano passado. Nós vínhamos, até maio, perdendo 8,2%, mas já estamos vendendo agora em junho a mesma coisa que o ano passado, o que quer dizer que os maiores clientes já estão investindo em viajar. Viagem para o corporate é investimento, não é despesa”, afirmou Arbaitman.
LAZER
Em relação aos investimentos que a Maringá Turismo tem feito no setor de lazer, Arbaitman disse que o foco da empresa é tanto no consumidor corporativo como no consumidor final. “Agora em junho nós vendemos oito vezes mais do que em junho do ano passado em lazer. E o público é muito o que já é corporativo, mas muitos consumidores têm nos procurado porque viram nossos anúncios”, afirmou. Segundo ele, “o sistema de tecnologia é o da Lemontech e o sistema de atendimento é o que a Central de Eventos faz”. O segredo, para o empresário, é o cuidado de caráter pessoal: fazer o consumidor sentir que está sendo atendido por pessoas e não por uma máquina. “Não que eu seja contra a evolução do mundo que são as compras via internet, nós temos um setor também, mas nós preferimos falar com o cliente”, explicou.
Atualmente, a porcentagem de corporate da Maringá Turismo é de 82%, enquanto o segmento chamado private – que inclui o lazer – é de 18%. A intenção da empresa é de chegar a 78% corporate e elevar o private para 22%. Sobre possíveis parcerias, Arbaitman afirmou que a empresa está sendo alvo de sondagens. “Temos sido procurados por muitas empresas que querem fazer associações. Neste momento, nós achamos que primeiro precisa estabilizar o Brasil, saber como a gente vai manter o nosso corpo funcional, não perder nenhum profissional, treiná-los melhor e na medida do possível fazer contratações”, esclareceu ele.
NEGÓCIOS
Com os resultados positivos registrados em junho, o presidente da Maringá Turismo acredita que, “com o País estável”, a empresa atingirá o faturamento de R$ 1 bilhão ainda este ano.
Questionado sobre possíveis aquisições, Arbaitman apontou que a posição da empresa é de não comprar nenhuma agência, sendo ela concorrente ou não. “Nós procuramos é conquistar o cliente. Se conquistarmos, muito bem - e ele não é eterno, ele é [cliente] enquanto a gente prestar um bom serviço e enquanto a gente reduzir os custos dele”, explicou o presidente. “Quando a gente ganha uma concorrência - e recentemente ganhamos uma concorrência que não podemos anunciar ainda porque é uma grande rede de televisão -, temos que adaptar a nossa empresa ao modo como aquela empresa viaja”, afirmou.
O empresário ainda defendeu as privatizações de aeroportos e a presença de capital estrangeiro nas companhias aéreas. “Eu acredito que privatizar e colocar as companhias aéreas internacionais comandando nossa aviação só vai nos beneficiar e o Brasil ganha impostos, ganha mais gente viajando e mais atendimento que interessa e incentiva turistas do Exterior a virem mais para o Brasil”, apontou ele.
Arbaitman ainda afirmou que a Maringá Turismo não tem e jamais terá clientes do governo. “Eu já fui secretário [estadual de Esportes e Turismo no governo Mario Covas e Geraldo Alckmin], sei como funciona lá dentro. De jeito nenhum. Para começar, eles são meio um pouco corruptos. Compram algumas passagens e falam: ‘meu chefe vai viajar e tem que ir de primeira classe’. Problema dele [risos]”

Fonte: Panrotas